Vereador propõe monitoramento e boletim eletrônico em escolas

Escola João Bastos já conta com câmera na sua entrada

O vereador Wilson Mulinha apresentou, na sessão desta segunda-feira, 25 de junho, dois projetos de lei ligados à educação. UM tem como objetivo instituir o boletim eletrônico nas escolas públicas da rede municipal do município. O outro trata da instalação de câmeras de monitoramento no entorno e interior das escolas. “A instituição deste boletim eletrônico por parte da Secretaria Municipal de Educação irá facilitar para os pais e ou responsáveis acompanhar a frequência de seus filhos, facilitando assim a consulta de notas e presenças dos mesmos nas salas de aula, mantendo-os informados do rendimento escolar obtido no bimestre ou trimestre consultado, bem como a frequência diária dos alunos”, justifica o vereador.

Os alunos também poderão planejar a recuperação em algumas matérias em que estejam com dificuldade ou ainda, controlar suas faltas em determinadas matérias.

Ainda de acordo com Mulinha, pesquisas comprovam que o acompanhamento dos pais ou responsáveis na vida escolar dos alunos é de fundamental importância, pois a formação de crianças e jovens é uma ação compartilhada e com a criação deste boletim eletrônico, os dados como notas e frequência, serão disponibilizados através de um portal do aluno, que seria localizado no site da Secretaria Municipal de Educação. “Com isso os mesmos poderão tomar conhecimento da vida escolar de seus filhos e se realmente estão presentes na escola”, explicou o vereador.

Vereador apresentou dois projetos

Projeto para monitorar escolas

Diante dos últimos problemas ocorridos na Escola Municipal de Ensino Fundamental e Médio João Bastos, onde um candidato a vereador derrotado na eleição passada conseguiu adentrar na cozinha da escola sem autorização e divulgar fatos que teria sido “produzidos” apenas para prejudicar a diretoria a escola, o vereador Wilson Mulinha teve a ideia de apresentar outro projeto, na sessão desta segunda feira, dia 25 de junho, tornando obrigatória a instalação de câmera de monitoramento de segurança nas dependências, cercanias, incluindo as entradas e saídas de todas as escolas públicas municipais, além de vedar a entrega de alunos, menores de idade (até a idade de 10 anos a terceiros, no encerramento das aulas, sem autorização dos pais.

“O objetivo da implantação dessa lei visa garantir a integridade e a segurança dos alunos, pais e/ou responsáveis, professores e outros servidores das escolas públicas municipais, visando também atuar na prevenção do aliciamento de nossos jovens para o uso ou envolvimento com as drogas, além de proteção e maior segurança em caso de entrega de alunos menores a terceiros sem autorização dos pais, como tem acontecido em algumas escolas que tem levado alunos a serem raptados e muito das vezes violentados”, justificou o vereador. (Weber Andrade)

COMPARTILHAR