Surto de Malária traz o secretário de Estado da Saúde a Vila Pavão

Secretário disse que todos os esforços estão sendo feitos para combater a malária

O secretário de Estado da Saúde, Ricardo de Oliveira, esteve em Vila Pavão na tarde desta quinta-feira, 9, acompanhando as ações que estão sendo desenvolvidas no município para conter o surto de malária. No último boletim informativo, divulgado na noite desta quinta-feira, Vila Pavão registrava 92 casos confirmados de malária. Repelentes começaram a ser distribuídos gratuitamente.

As ações de combate à doença estão concentradas em cinco comunidades, sendo que a região de Conceição do 15 tem mais de 70% dos casos registrados no município. Além disso, Vila Pavão recebeu um carregamento de inseticidas.

Após ser recepcionado no estádio municipal pelo prefeito Irineu Wutke, vice-prefeito José Wilson Vieira, secretários municipais, vereadores, entre outros, Ricardo Oliveira e seus assessores foram conhecer o laboratório montado no município para diminamizar os trabalhos de contenção da malária no município.

Durante a visita, o secretário falou sobre as medidas que estão sendo tomadas para conter o surto. “Assim que a notícia chegou a nós, na quarta-feira da semana passada, na quinta-feira, já desembarcou toda uma equipe da Secretaria de Saúde em Vila Pavão. Uma parte dela foi combater o mosquito, outra foi treinar os hospitais e unidades de saúde, e outra foi capacitar o pessoal da atenção primária. Trouxemos medicamentos disponibilizados pelo Ministério da Saúde e testes rápidos para serem utilizados. Ou seja, é um conjunto de medidas que já foram tomadas, imediatamente. O problema aconteceu e foi reportado, tanto pela Secretaria, como pela prefeitura, no instinto de proteger a população e acho que estamos conseguindo. A população está protegida com as ações que foram tomadas pelo Estado e pelo Município, aqui em Vila Pavão”.

Ricardo de Oliveira também falou sobre a normalização de novos casos e orientou a população pavoense. “Em relação à diminuição, em algum momento, vai acontecer, mas não consigo te dizer agora, efetivamente, porque estamos fazendo uma busca ativa das pessoas que estão com o problema. É natural que cresça. Isso não quer dizer que novos casos estão acontecendo. Isso quer dizer que estamos identificando os casos que já aconteceram aqui. O que nós acreditamos é que as medidas de contenção que nós já tomamos, com certeza já está provocando uma redução no número de casos novos em relação à essa doença. Em relação à prevenção e em o que a população pode ajudar, ela pode em muita coisa. Tem que usar repelente, roupa de manga comprida, ter uma atenção mais apurada entre os horários de 18h e 20h, porque é o horário de maior circulação do mosquito, em que ele sai para picar as pessoas. Outra coisa importante é que esse mosquito é silvestre, tanto é que os casos em Vila Pavão estão concentrados em comunidades rurais. Esse mosquito não sobrevive em área urbana. A população pode ajudar se protegendo do mosquito e mais: se tiver qualquer sintoma, rapidamente, procurar o laboratório que está montando aqui em Vila Pavão, porque quanto mais rápido detectarmos a doença, melhor para a pessoa.”

Segundo o secretário, apesar do aumento de casos, a situação está controlada nas demais cidades da região. “Eu fiz uma avaliação com vários especialistas da área acadêmica, em Vitória, a respeito das ações que estamos tomando aqui e foi uma unanimidade, no ponto de vista de avaliação, de que as ações tomadas são as que deveriam ter sido. Não teve nenhuma sugestão nova em relação a outro tipo de coisa que esteja faltando. As ações que estão sendo tomadas são de muita qualidade. Obtemos uma reação muito rápida. Vamos continuar juntos com a prefeitura de Vila Pavão até resolver o problema”. (Weber Andrade/PMVP)

COMPARTILHAR