Preso no RS, sequestrador de Thayná chega ao Espírito Santo e MÃE DESMENTE

Ademir Lúcio chegou ao Estado na noite desta segunda-feira (13) e foi conduzido do Aeroporto de Vitória à DHPP em viatura do Grupo de Operações Táticas

Ademir Lúcio, preso no Rio Grande do Sul pelo sequestro da menina capixaba Thayná, chegou na noite desta segunda-feira (13) ao Espírito Santo. Três viaturas do Grupo de Operações Táticas (GOT), da Polícia Civil, chegaram ao Aeroporto de Vitória por volta das 19h10 e saíram às 19h40 com destino à Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa. As viaturas chegaram à DHPP pouco antes das 20 horas. Até as 21h40, Ademir continuava no local, onde prestava depoimento.

MÃE DESMENTE SEQUESTRADOR

Do mesmo jeito que falei para a polícia que minha filha não tinha fugido, eu afirmo: Esse monstro, esse verme, não conhecia a minha filha. E eu não o conhecia. Eu quero que ele fale isso na minha frente

Clemilda, mãe da Thayná

Bastante abalada, a mãe de Thayná, rebateu as afirmações do criminoso Ademir Lúcio, feitas em um vídeo durante a prisão dele no Rio Grande do Sul. Na gravação, o acusado de sequestrar Thayná diz que conhecia Clemilda e a menina, e que teria ligado duas vezes para a mãe da criança para avisar que o corpo estava na lagoa, mas que a mãe não havia atendido as ligações.

O DESABAFO

A gravação foi feita pela jornalista Glacieri Carraretto, na tarde desta segunda-feira (13), na Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP)

MISTO DE SENTIMENTOS

Questionada sobre a sensação de ver o sequestrador de Thayná preso, Clemilda, em princípio, desabafa: “Pelo menos isso, pelo menos isso”. Muito abalada, continua: “Não sei o que essa prisão traz, não sei se é alívio, é uma mistura de sentimentos muito grande. Não sei. Não sei se está doendo, se está me matando, não sei o que está acontecendo”.

ÓDIO E CONFORTO

“Não vou ter a oportunidade de pôr as minhas mãos em cima dele, mas saber que ele não fará isso com criança alguma já é confortante”.

Clemilda reforça que queria ter acesso a Ademir. “Esse monstro, esse verme não conhecia minha filha. E eu não o conhecia. Quero que ele fale isso na minha frente, que fale isso para mim”.

BANDIDO CONTA DETALHES EM VÍDEO

Acusado de sequestrar a menina Thayná Andressa de Jesus Prado, 12 anos, Ademir Lúcio Araújo Ferreira, de 55 anos, contou, em vídeo, após ser preso, detalhes do dia do crime. Durante a confissão, ele garantiu que o corpo da menina está dentro de uma lagoa em Viana (assista vídeo ao lado).

Segundo Ademir, no dia do crime, ele parou o carro no bairro Universal, em Viana, quando viu a menina de 12 anos na rua. Ele chamou a menina pelo nome e perguntou pela mãe dela, que disse que Clemilda estava trabalhando. Em seguida, Ademir chamou Thayná para entrar no carro.

Ele conta que, após a menina entrar no carro, dirigiu em direção à lagoa e parou o carro próximo ao local. De acordo com Ademir, em determinado momento ele convidou a menina para ter uma relação sexual, que negou.

Foi quando ela saiu correndo do carro e ele não teve como alcançá-la. “Ela passou por um alambrado e foi correndo pela lagoa, e aí que eu vi ela afundando na água. A lagoa é funda, não deu para eu pegá-la. Não tinha como eu salvar ela, foi muito rápido”, justifica.

Questionado sobre onde estava a menina, ele responde: “A Thayná está dentro da lagoa”. Ademir ressaltou que naquele dia ela ficou dentro da lagoa e ele entrou em desespero. “Eu liguei para a mãe dela para avisar, só que ela não me atendeu. Se meu telefone está grampeado vão ver. Liguei duas vezes para ela”, finalizou.

‘NÃO ME CALEI’

Sinto muito que isso tenha acontecido comigo, mas, só de saber que foi comigo e que eu não me calei, que consegui colocá-lo atrás das grades é uma recompensa.

SEM RUMO

Questionada sobre o que pensa em fazer daqui para frente, Clemilda desabou em choro. “Eu não pensei ainda, eu não sei, eu não sei”.

ACUSADO FOI PRESO NESTA SEGUNDA

Policiais militares do Rio Grande do Sul prenderam na madrugada desta segunda-feira (13) o acusado de sequestrar a menina Thayná Andressa de Jesus Prado, 12 anos. Ademir Lúcio Araújo Ferreira, de 55 anos, foi encontrado na Rua Comendador Manoel Pereira, no Centro de Porto Alegre. A ação contou com o auxílio de policiais civis do Espírito Santo, que ajudaram nas buscas ao foragido.

Ademir foi levado para a 2ª Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento da Polícia Civil, localizada em Porto Alegre. Ainda não há informações de quando Ademir será transferido para o Espírito Santo.

CERCO NO SUL DO PAÍS DESTE A ÚLTIMA TERÇA

Policiais civil da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), do Espírito Santo, estavam no Rio Grande do Sul desde a última terça-feira para tentar localizar Ademir.

ADEMIR ESTAVA COM VISUAL DIFERENTE

Vinte e sete dias depois de sequestrar a menina Thayná Andressa de Jesus, Ademir Lúcio Ferreira, estava com uma aparência diferente de quando levou Thayná em um carro no dia 17 de outubro no bairro Universal, em Viana.

Na imagem do momento da prisão, divulgada pelo secretário de Segurança Pública do Espírito Santo, André Garcia, em sua página no Facebook, na manhã desta segunda-feira (13), é possível ver que Ademir está mais magro, com cabelo e barba maiores.

COMPARTILHAR