Conclusão de muro da Escola Viva continua até hoje sem confirmação

Secretário Haroldo Rocha e comitiva passam pelo local onde o muro terá que ser construido

No dia 21 de agosto desse ano, o secretário estadual de Educação, Haroldo Rocha, esteve em Barra de São Francisco, para inspecionar as obras de reforma e adequação da Escola Viva João XXIII, no valor de R$ 6,5 milhões e disse ao site Voz da Barra que, até o final de setembro, esperava fazer a inauguração da escola, com a presença do governador Paulo Hartung e com  a parte traseira do muro concluída.

O problema com o muro foi mostrado pelo site Voz da Barra, depois que um morador das proximidades da escola alertou para o fato de que o mesmo não seria construído devido à falta de recursos. A empreiteira que está concluindo a obra disse que o muro é uma parte fundamental do cercamento da escola e ficaria sem construir.

O secretário Haroldo Rocha colocou um ponto final no problema. “Vamos entregar a escola prontinha, com o muro todo. Só falta definir como será contratada a obra”, disse ele. No entanto, até a manhã desta quarta-feira, 3 de outubro, a obra do muro nem que sequer havia começado.

A reportagem do site Voz da Barra tentou contato com a assessoria de comunicação da Sedu, na segunda-feira, 1º, mas até agora não recebeu nenhuma resposta sobre a demanda.

Rocha veio à cidade acompanhado de uma comitiva que incluia o gerente de Obras do setor educacional do Instituto Estadual de Obras Públicas (Iopes), José Leal, e concedeu entrevista a uma rádio local. Logo depois dirigiu-se à Escola Viva João XXIII, onde se reuniu com membros da diretoria da escola e visitou todos os setores da unidade educacional. A situação da obra, que está prestes a ser concluída, foi muito elogiada pelo secretário, que garantiu que não haveria nenhum problema para a conclusão do muro que circunda a unidade educacional.

O coordenador do Iopes, José Leal, por sua vez, informou que o projeto do muro está pronto e custará em torno de R$ 600 mil, mas o problema com a empreiteira que está fazendo a obra é que o custo de concreto dela está fora dos padrões atuais e a mesma se recusa a reduzir o preço. Diante do impasse, o Iopes deverá fazer uma nova licitação, de forma rápida, para que a obra seja realizada.

A obra da Escola Viva João XXIII começou no final do ano passado. No início desse ano, o governador Paulo Hartung visitou a sede da escola, fez uma pré-inauguração da obra e anunciou que a mesma era uma das 15 novas unidades do programa que passou a ofertar vagas em tempo integral em 2018. Quase dez meses depois, a obra está em fase de conclusão, faltando apenas a construção do muro. (Weber Andrade)

A parte do muro serviria também como arrimo para a quadra de esportes da escola