Aumento no preço da cerveja assusta até os comerciantes

Hábito de tomar uma cervejinha fica mais caro esta semana

Todo início de primavera é assim, os fabricantes de cerveja começam a ajustar os preços e os amantes da loira gelada começam a reclamar. Esse ano não é diferente: Desde o início da semana, os proprietários de bares de Barra de São Francisco estão “de cabelo em pé” com os aumentos impostos pelos fabricantes.

“A Glacial, que é a cerveja mais vendida da Heineken, teve um aumento de quase R$ 30 em cada engradado”, lamenta o dono do Bar dos Amigos, Reginaldo Lopes. Na opinião dele, o aumento fará com que a cerveja perca espaço para a concorrente da Ambev, a Antartica Subzero, que ficará mais barata do a Glacial.

A opinião de Reginaldo é compartilhada pelo dono de um boteco no bairro Campo Novo, Moisés Simão, que disse que a caixa com 12 latas da Glacial passou a custar R$ 25 no atacado. Atualmente a lata de 473 ml de Glacial é vendida no varejo, no mínimo, a R$ 2,25 e deverá passar para R$ 3.

Para o comerciante André Batalha, que tem um bar em frente à praça Senador Atílio Vivácqua, a garrafa de Glacial não deverá custar menos de R$ 5, a partir da semana que vem. “Estamos vendendo ainda no preço velho porque temos algum estoque, mas não dá para manter esse preço (R$ 4 a garrafa de 600 ml) por muito tempo”, avisa.

A Ambev e o Grupo Kirin (Schincariol) também já anunciaram reajustes para suas cervejas, mas o percentual, segundo os proprietários de bares da cidade, é bem menor do que o feito pela Heineken na sua cerveja mais popular. (Weber Andrade)